O Rio Grande do Sul, estamos cansados de saber, é um universo à parte na política partidária (e em que tantas outras coisas, diga-se!). Aqui, PT e PMDB são adversários ferrenhos. PMDB é sabonete, como no resto do Brasil, mas muito mais identificado com a direita do que em nível nacional, em que tem mais facilidade de transitar pelas diferentes esferas.

Mas há anos o PDT de Brizola anda de mãos dadas com esse PMDB, que agora já confirmou apoio ao candidato trabalhista (sic), José Fortunati, que assumiu o paço quando o peemedebista Fogaça pulou fora pra se candidatar (e sequer ir ao segundo turno, caindo no ostracismo prematuramente) ao governo do estado. Fortunati não só apoiou o retrocesso promovido por Fogaça (formando a queridíssima dupla Fo-Fo) como o aprofundou quando assumiu o barco. Porto Alegre, hoje, não tem mais o protagonismo que tinha no cenário mundial em termos de cidadania e participação popular. E pior, a capital dos gaúchos malemal mantém serviços básicos, totalmente defasados.

Brizola revira-se, coitado!

Enquanto isso, a comunista Manuela D’Ávila corteja o Partido Progressista de Ana Amélia, a senadora da RBS. Se vai levar ou não, ainda não sabemos (embora o PP esteja dividido, a tendência é que indique, sim, o vice na chapa com o PCdoB). O que importa, na verdade, é que os comunistas querem muito dar as mãos à ex-Arena. Tudo isso enquanto vangloria-se da história de 90 anos do Partido Comunista.

Diante da incoerência, quem se revira, agora, é Luis Carlos Prestes e todos os outros tantos líderes do partido (muitos mais do que no PDT de Brizola), muitos dos quais morreram nas mãos da Arena.

E são essas duas coligações esdrúxulas que aparecem na ponta das pesquisas eleitorais. Amarguemos, pois.

Sobre a coligação comunistas-Arena, deixo-vos com Latuff, bastante mais claro e contundente que eu:

14 Comentários

  1. heliopaz disse:

    Cris,

    Complicado será o PT poder se coligar apenas com legendas nanicas e pondo um candidato conhecido tão-somente como vereador e quase que exclusivamente dentro do partido. Independentemente de qualquer coisa, a melhor opção para o PT em POA não está mais disponível: ser vice de Manuela na chapa. Seria imbatível.

    Hoje, não há mais aquela antiga proporção simplista do senso comum petista, de que 30% sempre votam no PT e 20% o rejeitam: hoje, sem nenhum trabalho sério e de longo prazo de propaganda, esses percentuais estão invertidos. Mesmo aqui na capital, a população que se desiludiu com falhas que o PT não poderia ter cometido aumentou consideravelmente e o “endireitamento” é bastante notável.

    A perda de vereadores em regiões pobres da cidade para o PTB nas últimas três eleições municipais custou muito caro ao partido: havia demandas de trabalho comunitário, inclusão social, emprego, lazer, educação e cultura que se repetiam e eram boas, mas que não atingiam alguns nichos populacionais significativos. Pensou-se em massa, mas não em nicho, em questões microculturais absolutamente especializadas.

    Isso pode ser retomado. Mas o quadro é bastante complicado: não vejo mais nem garantia de 2º turno.

    []‘s,
    Hélio

  2. Ismael disse:

    Cris, pelo que vejo, tu acompanha o teu inter, mas no mais não é tão ligada em Futebol.

    Bem, mas não se preocupe, não é um comentário propriamente sobre futebol.

    Na TvCom a um programa típido de debates, o que antigamente se chamava uma mesa redonda, hoje me dia tiraram a mesa, mas é a mesma coisa, comentaristas dando palpites sobre times, jogos, etc. É o bate bola o programa.

    Esse ano, começaram com uma invencionisse de chamar torcedores ilustres de algum time para falar do time, etc. Idéia babaca, porque se os comentaristas de ofício já são palpiteiros, imagine outros.

    Mas bem, advinhe que foi a ilustre comentarista duas semanas atrás ? A imperatriz Yeda I. Do nada, foi tirada do seu (auto?)exílio.

    Ah, mania, deixa a pobre senhora… ok.

    Hoje ligo a TV e quem está lá? Rigotto.

    Qual será o critério para chamar esses participantes ? Somente a ligação com o time sendo discutido ou precisa ser intimamente ligado a RBS ?

    As coincidências que essa empresa nos proporciona :)

  3. Bem lembrado, Ismael. Aquele dia quase caí da cadeira quando vi a Yeda no Bate Bola.

    Fiquei sabendo que antes já tinham convidado o Tarso e que, em nome de um suposto “equilíbrio” chamaram o Fortunati, o Fogaça, a Yeda e o Rigotto. Só chama a atenção que este “equilíbrio” seja tão pendente à direita…

  4. Sydow disse:

    está realmente difícil votar este ano. eu estou sem candidato: FoFo evidentemente que não, a “Beleza” com o (ex-) vice Rozado e agora às voltas com a Hebe Camargo (ôps) tb não dá, sem falar no código florestal.
    mas eu também não votaria em quem promete liberar a construção de “espigão” na beira do Guaíba, para a felicidade da volúpia imobiliária e para o desespero de quem precisa de transporte no gargalo do trânsito do centro da cidade.
    porém, meu título eleitoral continua em Caxias do Sul. quem imaginou que isso melhora minha situação … ã-ã. o Spier Vargas me abandonou (torço que ele substitua logo o nosso imperador Ferdinando Genro, o fora-da-lei) e o Assis também é da turma do código florestal.
    resumo da ópera: a esquerda brasileira não me deixa outra opção senão o anarquismo militante: voto nulo.
    jamais imaginei que chegaríamos a esse ponto tão rapidamente!

  5. Omar disse:

    Como disse o Presidente da República Riograndense, qualquer dos três (Villa, Manoela, Fortunatti) que ganhar estará muito bem. Estão todos na base do governo…

  6. Jorge Neto disse:

    E o candidato que se “aliou” com o Partido Vende-se, que troca apoio por cargo no Estado, vai aos 2,5%, agora?

  7. Jeferson disse:

    Cris, ultra tendenciosa. Vejo que está em curso uma tentativa “da nova forma de fazer jornalismo”, de empurrar a candidatura do PT e tentar viabilizá-lá politicamente. Parece que o problemas das coligações se apresenta de hoje e o PCdoB é o “fim das ideologias”, por favor… Outra questão que se apresenta é o famigerado código florestal, que a militância petista acusa o PCdoB de fazê-lo. Ora o então presidente Lula retirou a Amazônia da responsabilidade do MMA, lembram?! Sim. Blairo Maggi venceu a então ministra Marina. E mais: Dilma venceu os ambientalistas de dentro e fora do PT na época. O veta dilma tem mais significados que o combate militante ao PCdoB. Dilma na casa civil foi quem derrubou Marina Silva, mas parece que isso é menor agora, afinal, é Porto Alegre que está em jogo. Os formadores de opinião do PT estão subestimando a população e esse manequeismos cobrará sua conta. As alianças, o código florestal, a responsabilidade de um bloco histórico… Procure essas repostas dentro do próprio PT.

  8. Jeferson disse:

    Esse é outro problema; os autodenominados de esquerda, crêem cegamente, que a única esquerda no pais está dentro de si; enganam-se.

  9. Ismael disse:

    Chamar o Tarso?

    Que malandrinhos. Seria estranho o Tarso, ir, ele tem cargo do estado, vai lá falar de futebol ?

    Esses aí que estão de chinelinho em casa é outra coisa.

    Só o fogaça que era assim,ficava cantava em evento privado durante o mandato.

  10. flávio disse:

    Caramba, como tem anticomunista nestas bandas ai…..escrevo aqui de Caxias do Sul, aqui os petistas estão brigando com os comunistas pelo apoio do PP, em cada banda tem um tipo de petismo, esquecem as cassandras que politicas de aliança é legal e o momento politico brasileiro requer a arte de pelé e garrincha juntos para derrotar os larapios do erario público, que estão por ai em todas as prefeituras e estes larapios não tem cor partidária, mas enfim lembrem os navegantes: a balada em eleição é o pragmatismo, até porque, politica é arte e quem não sabe fazer …nem se apresente…. saudações ao que sobreviveram ao outubro vermelho, derrotar a midia sionista e a burguesia escravocrata da capital é a balada e para isso dá para usar até a ana velha contra seus patrões….

  11. mario luiz rodrigues leichtveis disse:

    apenas uma consideração sobre a charge que colocaste. Poderias colocar a presidenta dilma no pau de arara, já que ela lutou contra ditadura e hoje tem o PP na sua base de governo. é muito facil sair atirando contra o vizinho sem olhar para si próprioi

  12. Cris disse:

    caríssim@s,
    respondo coletivamente a vários comentários, com uma pergunta: em que parte do post defendi o PT? critiquei as duas candidaturas que têm chance de levar a prefeitura de porto alegre, mas sinceramente acho que esse ano não temos nenhuma alternativa que se preze. é uma tristeza.
    e sempre fui crítica à aliança do PT com o PP, como acontece no governo federal, em canoas (em que o PT se aliou com praticamente todo o mundo menos o PSDB) e em qualquer outro lugar. sou contra a esquerda se aliar à arena. e, sendo coerente com esse pensamento, acho um desaforo tanto o PCdoB quanto o PDT (mais pela história de luta, especialmente do brizola, do q pela posição atual do partido) se juntarem ao PP.
    no governo federal, aliás, é supercomplicado. porque tem a questão do pragmatismo, pra fazer as coisas acontecerem e tal. mas acaba que um monte de coisas importantes ficam nas mãos deles, tipo o ministério das cidades.

  13. Alan Silva disse:

    Alemãozinho, todos os partidos que enumeraste estão coligados em nível federal e, consequentemente, governam o Brasil de mãos e braços dados com o PT. Essa história de querer desqualificar adversários eleitorais pelas suas alianças não funciona mais(é coisa do passado), ao contrário, só ferra quem faz esses comentários e esse tipo de campanha. Eu, pessoalmentye e por reconhecê-lo como um grande colega, amigo e, mais do que isso, um ser político muito qualificado contribuo te pedindo para me apresentar e aos demais outros argumentos, que por certo contribuirão com o teu candidato, ao invés de atrapalhar-lhe como desta vez. O tempo do discurso fácil e pragmático já passou, agora é a hora de ver quem tem realmente´farinha no saco prá vender. Um fraternal abraço.

Comentários