Idas e vindas depois, aconteceu o 2º Encontro de Blogueir@s do RS nos dias 3 e 4 de agosto, em Porto Alegre. A abertura, na sexta à noite, juntou um povo interessado em discutir liberdade de comunicação, uma luta muito maior e mais importante do que a da liberdade de imprensa, como afirmou o secretário Marcelo Danéris, do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. “Vocês carregam uma capacidade libertária e civilizatória”, disse, para logo depois citar até o velho Marx em sua defesa da liberdade de comunicação.

Danéris estava ao lado de Altamiro Borges, do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé, Gérson Barrey, representando a secretária de Comunicação e Inclusão Digital, Vera Spolidoro, e Rosane Bertotti, do Fórum Nacional de Democratização da Comunicação. O debate rendeu, e a gente saiu da Nós Coworking mais de 22h30, em uma noite bizarramente quente pra um 3 de agosto gaúcho, em que se falou na necessidade de se rediscutir a comunicação no Brasil, de o governo enfrentar o poder midiático e de fato proporcionar um espaço para uma comunicação plural e democrática. “A blogosfera é muito diversa, tem muitas opiniões diferentes. O que nos unifica é a defesa da liberdade de expressão, a luta contra o poder midiático monopolista e centralizador e a luta por direitos e justiça social”, disse Miro.

Apesar da confraternização de sexta ter ido longe, o povo de fé voltou no sábado de manhã para debater o Direito à Comunicação. E rolou debate mesmo! A ministra da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos tinha compromisso em seguida, mas se empolgou discutindo com o pessoal alguns temas bem pertinentes e fez uma fala ampla e contundente. “A liberdade no século XXI é indissociável da liberdade de comunicação e inclusive do acesso a tecnologias que viabilizem a livre comunicação”, falou logo de cara.

Ao lado de Marco Weissheimer, nosso grande blogueiro gaúcho, do RS Urgente, e de Igor Felippe, que trouxe o MST (que sempre teve seu direito à comunicação negado pela grande mídia) para dentro do debate do #2BlogProgRS, Rosário fez questão de dar o microfone a quem a questionava (a divergência mais forte foi além da comunicação, tratando do Haiti), mas não sem antes ter feito uma provocação muito válida à blogosfera. A ministra propôs “à sociedade, ao MST, aos blogueiros, aos movimentos” que revisitem as agendas abertas na Conferência Nacional de Comunicação de 2009. Isso porque a bandeira da inclusão da comunicação como um direito humano na Constituição Federal deveria ser levantada pelos blogueiros, segundo ela, puxando a luta que começou na Confecom.

A tarde de sábado foi voltada ao debate de como a rede pode ser utilizada para o ativismo. Mais especificamente, para o ativismo político. Discutiram Ney Hugo, do Fora do Eixo, Rute Vera, do blog Ong da Rute, e o cicloativista Enrico Canali. A discussão sobre a pressão por uma cidade mais inclusiva, que priorize as pessoas e proporcione espaços de convivência foi uma das que mais empolgou o pessoal.

No final do sábado, uma mesa para debater formas de organização da blogosfera, para que o debate não aconteça uma vez por ano, mas que sejam criadas alternativas de aprofundamento da discussão e de prática cotidiana efetiva, além da regionalização do debate. Rolou uma conversa com André de Oliveira, do Coletivo Catarse, Paulo Salvador, da Altercom, e Fernanda Quevedo, do Fora do Eixo, que mostraram de que forma esses coletivos de comunicação se organizaram, para inspirar o movimento de blogueiros que vem surgindo. Ao final, choveram crachás na mesa pedindo inscrição; todos queriam contribuir para o debate, que foi muito bacana e que, evidentemente, não se fechou ali. Abriu-se um caminho para que continuemos a conversar a partir de agora, estruturando essa organização.

Balanço do encontro

Eu sou suspeita pra falar, mas quero registrar minha avaliação de alguns altos e baixos do 2BlogProgRS. O principal “baixo” foi a dificuldade de organização, em função de pouca gente envolvida diretamente nas questões práticas e de ninguém poder se dedicar exclusivamente a isso. Deriva daí (e do envolvimento com as eleições, acredito) o quórum um pouco baixo, principalmente no sábado. Ainda assim, os debates foram realmente muito bons. Esse é o grande “alto”, e não falo como organizadora. Realmente gostei muito de ter estado lá, presenciado as discussões, concordado com uns, divergido de outros, vivenciado o debate respeitoso, mas livre e franco. E o astral do lugar estava muito legal. Tenho que concordar com a Binah que estava mais bacana do que o 3º Encontro Nacional, em Salvador. E por fim na lista dos pontos altos a presença do povo. Tanto os gaúchos dedicados ao debate da comunicação quanto os que simpatizam com a causa (que, afinal, dialoga com todas as outras causas defendidas por aí) e até de um pessoal bacana que veio de longe pra prestigiar. Registrei presenças de Floripa, Rio, São Paulo e Brasília.

Uma coisa que pra mim foi muito legal foi a participação de movimentos sociais, que vem sendo reivindicada há algum tempo e foi muito pedida em Salvador, no 3º encontro nacional. Levamos isso como um objetivo, de estabelecer esse diálogo com movimentos mais tradicionais e ampliar a abrangência da luta, e acho que aqui conseguimos fazer neste encontro. É uma porta que vai se abrindo, agora é preciso construir a continuidade.

E agora falando como participante, mas também como organizadora, não posso deixar de agradecer alguns apoios muito importantes. O governo do estado, através da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital, esteve aberto ao diálogo desde os primórdios da nossa organização, tendo apoiado já o primeiro encontro e agora mais uma vez contribuído para que tudo desse certo, mostrando interesse no debate da democratização da comunicação. Sem esse apoio, certamente, não daria.

A Veraz tocou toda a logística do encontro. À Patrícia e ao Paulo Cezar, grandes parceiros, muito obrigada.

A Associação Software Livre, mais uma vez, parceiraça tocando a transmissão ao vivo e já em seguida disponibilizando os vídeos dos debates, que já estão sendo subidos no Youtube.

O espaço em que foi realizado o encontro foi um dos responsáveis pelo clima bom e pela integração do pessoal. Vale então citar a Nós Coworking.

Outro campeão de elogios foi o coffee break, fornecido pelo coletivo Utopia e Luta e indicado pela Cintia Barenho.

Miro, Barrey (e Vera), Danéris (e Stela), Rosane, Rosário (e Rodrigo e Luca), Igor, Marco, Ney, Rute, Enrico, Paulo (e Rovai), André, Fernanda. Sem palavras, brigadíssima ;)

E, por fim, amigos, parceiros, participantes. Brigadão pela presença e pela qualidade do debate.

Fotos: Fora do Eixo e Cris Rodrigues
Mais fotos no Flickr do Fora do Eixo, no meu e no álbum da Cintia Barenho. Mais alguém?

1 Comentário

  1. Maria Libia disse:

    Nunca duvide que um grupo de pessoas conscientes e engajadas para mudar o mundo; de fato, sempre foi somente assim que o mundo mudou Frijof Capra

Comentários