Brasil, Argentina e suas pós-ditaduras

Em um dia, a Argentina é considerado inconstitucional o indulto concedido a José Martinez de Hoz, ministro durante a ditadura militar, e do ex-ditador (uma vez ditador, sempre ditador, embora o jornal O Globo o trate como ex-presidente militar) Jorge Videla. No dia seguinte, o Brasil adia a decisão sobre a revisão da Lei da Anistia.

Independente de como vai terminar esse capítulo da nossa história, é absurdo que até agora nada tenha acontecido de concreto para punir assassinos, torturadores, censores. Os que ainda vivem vão ficando velhos. Muitos já morreram. E a história da impunidade fica. Não julgá-los é absolvê-los, é esquecer, é humilhar os que foram vítimas deles.

Videla está preso desde 1985, condenado à prisão perpétua dois anos depois da redemocratização. Vinte e cinco anos depois do fim da ditadura brasileira… Bem…

A comparação me envergonha.

————-

Mais informações:

Relator no STF vota contra revisão da Lei de Anistia (Terra)
No STF, relator vota pela manutenção da Lei da Anistia (G1)

Brasil, Argentina e suas pós-ditaduras

7 comentários sobre “Brasil, Argentina e suas pós-ditaduras

    1. “Revogar a lei da anistia é justo, desde que ocorram punições dos dois lados.” = papo furado pra boi dormir.

      Pois um dos lados já foi severamente punido: os militantes da esquerda foram presos, torturados, mortos, e/ou exilados. Já os torturadores continuam livres, leves e soltos.

      Curtir

  1. Essa conversa de “vamos punir os dois lados” já está ficando meio cansativa. Parece que as pessoas aceitam tudo aquilo que lhes chega pela mídia e não param para pensar que uma ditadura não pode ser exercida por “dois lados”. Só um lado é ditador, o outro é vítima. Aqueles que ousaram lutar contra o regime militar e que ajudaram a criar as condições para vivermos no Brasil livre e democrático em que vivemos hoje, não merecem punição. Merecem, isso sim, elogios, agradecimentos, reparação e um sonoro pedido de desculpas de parte de quem injustamente os acusa.

    Curtir

  2. Acho interessante a ideia de punir perseguidores e perseguidos. Tenho curiosidade de estudar que motivos levam alguém a chegar à conclusão de que isso é justiça.

    No mais o Rodrigo e o Alves já falaram muito bem.

    Curtir

    1. Cleberson Silva disse:

      A lógica é simples: não concordo com os expedientes utilizados dos dois lados durante a ditadura. Não concordo com tortura, repressão e censura, mas também considero inadmissível guerrilha, sequestro e terrorismo.
      Aceitar as práticas de qualquer dos lados é aceitar que os fins justificam os meios, mesmo os mais perversos.

      Curtir

  3. “A lógica é simples: não concordo com os expedientes utilizados dos dois lados durante a ditadura. Não concordo com tortura, repressão e censura, mas também considero inadmissível guerrilha, sequestro e terrorismo.”

    Pois é, só que um dos lados (o mais fraco) já foi severamente punido. Por que punir de novo???

    E se vamos falar de “terrorismo”, não esqueçamos do que aconteceu no Riocentro há exatos 29 anos.

    Curtir

  4. Aliás, para ver só: militantes de extrema-esquerda usaram bombas para tentarem atingir uma ditadura, que chegou ao poder pelas armas, e não pelo voto. Acabaram morrendo pessoas inocentes, é verdade. Menos do que a ditadura matou, mas ainda assim são mortes a serem lamentadas. E os autores delas foram punidos de forma desumana.

    Já a extrema-direita usou bombas com o claro objetivo de assustar o povo, pois não queria que ele voltasse a ter o direito de escolher pelo voto quem deve governar o Brasil. Nenhum dos autores destes atentados foi punido. E se eu fizer uma pesquisa histórica que comprove que “Fulano de Tal” foi o mentor de um dos atentados, citar o nome dele e publicar o trabalho, o FDP vai me processar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s