PMDB, PDT e suas oportunas coincidências

Recebi hoje no meu endereço eletrônico a newsletter do PDT. Achei divertido o assunto do e-mail: “PDT articula encontro da dobrada Dilma-Fogaça”.

Hein? Dobrada?

Engraçado que não faz muito tempo era possível ler nos jornais sobre a postura, digamos, interessante do candidato a governador do RS pelo PMDB, José Fogaça. A tal “imparcialidade ativa” que não diz porcaria nenhuma, mas naquele momento serviu para o sem-sal ex-prefeito da capital assumir que não assumia nada (“Inação de Fogaça ultrapassa as fronteiras do ridículo”). Que, pra variar, ficava em cima do muro. Que fazia o que fez em seus seis anos como prefeito: patavinas.

Ao contrário do resto do país, no RS Dilma demorou um pouco mais para ultrapassar Serra nas pesquisas. Não era tão óbvia a vantagem de vincular o nome ao da candidata petista. Cobiçado por PT e PSDB, o PMDB, dividido, decidiu ficar em cima do muro, na época em que cabia fazer as alianças com um lado ou outro.

O insólito da história é que agora que Dilma apareceu na frente na última sondagem do Ibope no estado dos gaúchos, o PDT, vice na chapa de Fogaça, fala em “dobrada”, força uma aproximação. Coincidência, apenas. Claro.

PMDB, PDT e suas oportunas coincidências

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s