Documento define plano de ação contra o terrorismo midiático em Cuba

Recebo de Cuba, da jornalista Stela Pastore, o texto final da I Brigada Internacional contra o Terrorismo Midiático. A partir dele, foi tirado um plano de ação com diversas iniciativas para formar uma rede e enfrentar o boicote da mídia internacional às informações de Cuba.

Sessenta e três lutadores contrários ao terrorismo midiático procedentes de 19 países da América Latina, América do Norte, Europa, Ásia e Oceania, amigos do povo cubano e de sua Revolução, reunidos de 22 a 26 de novembro no Acampamento Internacional “Julio Antônio Mella”, em Caimito, Havana, Cuba: expressamos nossa firme vontade de defender as ideias da Revolução Cubana pela nova via da informática.

O uso da Internet por parte dos inimigos dos povos que lutam pela sua liberdade será cada vez mais ofensivo. A web tornou-se o novo cenário de lutas. O emprego das novas tecnologias é usado pelo inimigo imperialista para desatar uma feroz campanha midiática contra a Revolução Cubana utilizando a mentira e a traição.

Cuba não é a única vítima; todos os povos têm sofrido o acossamento e o fustigamento midiático. Hoje, o combate está mais encarniçado: é necessário fazer frente com razão e coração ardente, de forma coordenada e com a Internet.

——————-

DECLARACION DE LA PRIMER BRIGADA CONTRA EL TERRORISMO MEDIATICO

SOBRE LA POSTURA AMENAZANTE E INTERVENCIONISTA DE LA OTAN

Los 63 periodistas y comunicadores de 19 paises presentes en la Primer Brigada Mundial contra el Terrorismo Mediatico, en La Habana, Cuba, manifiestan su repúdio a la declaración de la Organización del Tratado del Atlântico Norte (OTAN) y expresan su solidaridad a todos los pueblos que estan sufriendo la agresion facista de esta organización.

Con este acto, la OTAN reafirma su caracter terrorista global, constituyéndose en un ejercito al servicio del imperialismo, atentando contra la soberania y autodeterminación de los pueblos.

Los periodistas y comunicadores alertamos que con este posicionamiento belicista e intervencionista se pone en riesgo a toda la humanidad, a la que puede llevar a su destrucción una vez desatada el espiral de agresiones que como advierte Fidel Castro, puede convertirse en una guerra atômica total.

Documento define plano de ação contra o terrorismo midiático em Cuba

Um comentário sobre “Documento define plano de ação contra o terrorismo midiático em Cuba

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s