A Massa é Crítica e pede respeito

Eram cerca de 8 horas da noite de terça-feira. Eu saía do trabalho, na Praça da Matriz, pela Duque de Caxias, em direção ao viaduto da Borges de Medeiros. Cheguei lá em cima e procurei a origem dos sons de muitas vozes. Olhei para baixo e lembrei imediatamente do evento que a correria do dia havia me feito esquecer momentaneamente.

Quando as primeiras bicicletas despontaram de trás das árvores no nosso horizonte de visão, pareciam poucas, esparsas. De repente a massa aumentou e, quando chegava perto de passar por baixo do viaduto, já estava densa e não se enxergava o fim. Foi quando elas pararam. De repente, os ciclistas desceram de seus meios de transporte, deitaram suas bicicletas no chão e estenderam seus corpos ao lado. Era um protesto contra o atropelamento coletivo da última sexta-feira contra a Massa Crítica e um pedido de respeito e paz no trânsito. Que sejam ouvidos.

Segundo a Brigada Militar, cerca de 1.500 pessoas pedalaram pelas ruas do Centro hoje à noite.

A Massa é Crítica e pede respeito

8 comentários sobre “A Massa é Crítica e pede respeito

  1. Uma amiga que foi na manifestação comentou que estava chateada pq o Jornal Enrolacional deu alguns segundos para a manifestação e destaque para a internação do monstrorista Ricardo Neis. Eu disse a ela que a grande mídia não tá mais com a bola toda, agora a voz é nossa, no Somos Andando, no Dialógico, em todos os blogues que falam dos fatos de maneira reflexiva e construtiva. Os blogueiros são os novos âncoras da notícia. Viva a Massa Crítica, viva a mobilização por um trânsito mais humano e viva a blogosfera! Mais amor, menos motor! E cadeia praquele dissimulado!

    Curtir

  2. Luis disse:

    Sem defender o motorista do Golf, mas por mais que a causa seja justa, atrapalhar a vida dos outros bloqueando ruas não é a forma correta de protestar. Além de não atingir quem deveria, quem pode fazer algo concreto, consegue apenas angariar antipatia daqueles que estão sendo prejudicados pelo bloqueio. Acho válido a idéia de deixar o carro em casa e adotar meios alternativos de transporte, mas a forma de protestar por isso está sendo de uma burrice atroz!

    Curtir

    1. Luiza Só disse:

      Informe-se, Luis. essa questão já foi levantada, inclusive no inquerito policial. O Massa Crítica revoga a abertura do trânsito, a ampliação da visão das pessoas nessa questão. O trânsito (por mais que muitos o considerem) não é exclusivo dos veículos motorizados particulares (carros). O trânsito é também das bicicletas, das motos, dos ônibus, dos microônibus e dos pedestres. O Massa Crítica promove essa bicicletada toda última sexta-feira do mês, e a EPTC sempre foi informada. Eles não pedem acompanhamento exatamente porque o seu objetivo é integrar o trânsito, não protestar. Eles apenas põe em prática o direito de ir e vir nas vias públicas e a utilização de um meio de transporte vantajoso para o Planeta e para todos que nele vivem. A grande surpresa do ato deles para o senso comum é que eles AGEM ao invés de discursar, e agem DENTRO DA LEI.

      Curtir

      1. Cleberson Silva disse:

        Não foi dentro da lei.
        Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, a bicicleta deve transitar pela lateral da via, então não pode ocupar toda a rua como foi feito, bloqueando intencionalmente a circulação dos demais veículos e cerceando o direito de ir e vir dos demais usuários da rua. E isso não foi incluído no CTB sem motivo. Foi justamente para proteger os ciclistas que o legislador determinou que essa é a forma que eles devem transitar pelas ruas.
        Apesar disso, em uma situação normal esse descumprimento da legislação não acarretaria em nenhuma consequência. Porém o movimento dos ciclistas acabou encontrando pelo caminho um doido psicótico que fez a merda que fez.
        O ponto é que se a legislação de trânsito tivesse sido cumprida, muito provavelmente ninguém teria sido atropelado e os ciclistas não teriam virado mártires.

        CTB, Art. 58. Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

        Curtir

  3. Felipe Koch disse:

    Deviam estar atrapalhando a vida da Maria Antonieta quando ela proferiu suas famosas palavras “Se o povo não tem pão que comam brioches”. Deu no que deu.

    Curtir

  4. […] A Massa é Crítica e pede respeito (via Somos andando) Eram cerca de 8 horas da noite de terça-feira. Eu saía do trabalho, na Praça da Matriz, pela Duque de Caxias, em direção ao viaduto da Borges de Medeiros. Cheguei lá em cima e procurei a origem dos sons de muitas vozes. Olhei para baixo e lembrei imediatamente do evento que a correria do dia havia me feito esquecer momentaneamente. Quando as primeiras bicicletas despontaram de trás das árvores no nosso horizonte de visão, pareciam poucas, esparsas … Read More […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s