Começa o governo Dilma

Vi alguns comentários por aí criticando a demissão do ministro Nelson Jobim porque, segundo eles, o titular da Defesa devia ficar no cargo até não aguentar mais e pedir pra sair, com o rabo entre as pernas. Tudo bem, seria uma cena bonita de se ver, mas discordo da tese. O número de “foras” cometidos por Jobim recentemente tornava inviável que ele permanecesse. Vejamos… o elogio escancarado a Fernando Henrique Cardoso no seu aniversário, com direito a indiretas explícitas contra o governo e a presidenta; a afirmação de que votou no adversário na eleição baixa e cruel que elegeu a presidenta do governo do qual faz parte; por fim, as críticas machistas e descabidas às ministras das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Ficaria muito feio para Dilma mantê-lo depois dessa patacoada toda.

Era óbvio que Jobim acabaria saindo de qualquer jeito de um governo com o qual não concorda e onde se sente desconfortável. Dilma não é Lula, a relação dele com a chefe do poder agora é outra. Se não quisesse sair do governo, não teria aberto a boca. Uma vez, sem querer, até vai, mas isso que está acontecendo não se explica. Ele forçou sua demissão, sim. E demiti-lo é fazer o seu jogo. Mas há males que vêm para o bem, e entramos na brincadeira de Jobim, mas saímos no lucro. Ou seja, sem ele. Livramo-nos do pior, mesmo que ele também pareça contente com isso. Que ele vai aproveitar para se juntar à oposição, isso é óbvio. Vai tentar construir sua carreira do outro lado para crescer mais adiante. Mas não é verdade que ele sai por cima. Ele sai do governo bem quisto pela oposição, mas sai como uma figura política traiçoeira e desleal.

Não tinha como não demiti-lo. E Dilma está mostrando pulso firme na forma de fazê-lo, mandando até um avião buscá-lo na Amazônia para efetivar sua demissão. Ganha pontos e garante sua autoridade e respeito. Mas que não me venha substitui-lo por Aldo Rebelo (PCdoB), que está sendo cotado para o cargo. Agora é a hora de aproveitar que se livrou de um estorvo e ajeitar a casa.

Agora é um dos momentos mais importantes do governo Dilma, que contribui para definir sua personalidade. A presidenta pode finalmente se livrar de um entrave importante, que lhe foi imposto e que travava a possibilidade de fazer andar um governo totalmente com a sua cara. Começa, então, o verdadeiro governo Dilma. Assim espero.

Começa o governo Dilma

3 comentários sobre “Começa o governo Dilma

  1. Nilson Figueiredo Filho disse:

    Cris, o verdadeiro governo Dilma começou no dia 1° de janeiro de 2011. Desde o primeiro momento já deu para ver diferenças dentro da continuidade. E, talvez até o fim, haverá aqueles que seria melhor nunca terem entrado. Se faz o que se pode, sempre.

    Curtir

  2. Na Carta Capital, declararam o início do governo Dilma com a saída do Palocci. O bom disso tudo é que a cada mudança no ministério o governo Dilma melhora e, sim, toma mais a sua cara – talvez melhore justamente por isso, por ganhar em coerência. Quanto ao Jobim, desde o primeiro momento houve desgastes, especialmente com a sua oposição inicial à instauração da Comissão da Verdade e a enquadrada que levou de bate pronto. Interessante pensar também que Lula deixou o governo (e isso inclui o Congresso) em situação tal que Dilma está podendo avançar em questões que o próprio Lula, pelos acordos que fez pela governabilidade (essenciais para que chegasse onde chegou), não pôde.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s