O mundo da especulação é insano e baseado em valores egoístas

Depois de assistir Wall Street – Poder e Cobiça, de Oliver Stone, confirmo o que já penso há tempos: o mundo da especulação é insano, absurdo, irreal, definitivamente não é humano. Sustenta-se baseado na ganância e na competição. Ganância e competição só têm razão de ser pela vontade de ser melhor que as outras pessoas, de ter mais que os outros. Ou seja, não condiz com um mundo solidário, de justiça social, de igualdade de direitos e oportunidades. O mundo de Wall Street só existe porque perdemos valores e não ligamos mais para os outros, para a relação tão necessária entre nós e o resto do mundo. Porque esquecemos que a solidariedade e a compaixão são importantes não apenas pela condição de justiça de todos terem os mesmos recursos, mas porque precisamos de contato, de troca, de retorno, porque não vivemos sozinhos, porque somos seres sociais.

Diante disso, um brinde ao colapso econômico, à crise financeira. Se ela trouxe consigo desemprego e consequências pesadas para quem não teve nada a ver diretamente com a especulação que a gerou, ela trouxe também uma condição nova dos homens diante da sociedade, do sistema econômico que se estabeleceu. Porque escancarou que estava errado, que tudo ia torto, que aquela loucura não podia ser o certo.

Que os prejuízos concentrem-se apenas nos gananciosos que pensaram apenas em si mesmos e prejudicaram toda a sociedade ocidental – menos o Brasil, que continuou crescendo, produzindo e genrando emprego e renda ;P

Anúncios
O mundo da especulação é insano e baseado em valores egoístas