A cobertura da primeira cerimônia da Copa

O primeiro evento oficial da Copa do Mundo de 2014 no Brasil aconteceu ontem, com o sorteio dos times para as eliminatórias. A Zero Hora.com destacou as atrações que comandariam o megashow, a pirotecnia acompanhada de um forte esquema de segurança, o grande “feito” de Ronaldo ao deixar Espanha e França no mesmo grupo e até a fala da presidenta Dilma Rousseff durante a cerimônia, claro que ressaltando como é bom receber um evento desse porte. Inclusive transmitiu ao vivo o fuzuê no site. Tudo extremamente positivo. Encontrei quatro matérias neste sábado, duas antes do evento e duas depois. Não há absolutamente nenhuma menção ao protesto contra o excesso de poder de Ricardo Teixeira e suas arbitrariedades à frente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A manifestação aconteceu durante o sorteio, e foi amplamente divulgada nas redes sociais, sendo inclusive o assunto mais comentado do Twitter durante um bom tempo. Mas Zero Hora optou pelo show e não pelo interesse social.

Já o Jornal Sul21, por exemplo, focou apenas nas manifestações. O sorteio em si teria como única consequência, a rigor, a definição da grade das eliminatórias. A divulgação desse fato é simples, basta dar os dados. Interessa muito mais o que está por trás deles e como eles vão chegar às pessoas. A diferença de abordagem, como fica muito claro neste caso, demonstra a diferença na forma de se fazer e de se pensar o jornalismo. O óbvio e raso show ou as consequências de cada fato para a vida dos cidadãos e cidadãs?

O Luiz Carlos Azenha informa no Viomundo que pela TV a cobertura não foi muito diferente da feita pela Zero Hora. Segundo ele, o sorteio para as eliminatórias da Copa foi apresentado em uma “versão higienizada do Brasil para consumo da ‘família FIFA’”.

A Copa, nos grandes meios de comunicação tradicionais, é só futebol e espetáculo. Embora o argumento da competição seja futebol, ela envolve muito dinheiro e grandes implicações sociais, estes sim verdadeiramente relevantes para a vida das pessoas. Se futebol é importante para o brasileiro – e não nego que é –, ele ainda é lazer. Já a casa de tanta gente que está sendo removida é questão básica de sobrevivência e qualidade de vida. E a concentração de poder em torno de uma figura extremamente polêmica e antidemocrática como Ricardo Teixeira implica em decisões verticais sobre a organização de um evento que, sabemos, não é atividade exclusivamente privada, como uma empresa qualquer. A Copa do Mundo envolve dinheiro público e obras que vão mudar a vida das pessoas para melhor ou para pior. Não é possível que uma única e superpoderosa pessoa tenha o controle de como isso vai ser feito. E que ainda conte com o silêncio complacente da grande mídia em função de negociatas escusas.

——

Foto: Adilson Filho, no Viomundo

A cobertura da primeira cerimônia da Copa

Qual o futuro dos moradores da Vila Dique?

Do RS Urgente:

A geógrafa Lucimar Fátima Siqueira registra sua preocupação, no Blogue Blue, com a situação dos moradores da Vila Dique, em Porto Alegre, uma das áreas diretamente atingidas pela ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho. “Entulhos foi o que sobrou das casas dos moradores que agora estão reassentados, vivendo de aluguel social ou acomodados em casas de passagem no local do reassentamento porque a construtora não está cumprindo com o cronograma”, escreve. Ela registra, com certo espanto, a declaração do diretor geral do Departamento Municipal de Habitação (DEMHAB), Humberto Goulart, sobre a área e os moradores: “Hoje ou amanhã a Infraero pode começar as obras. Mas não deixe para depois de amanhã, pois pode haver outra ocupação aqui”.

Essa declaração, observa Lucimar, destaca que o mais importante é o cumprimento dos acordos que viabilizam os negócios envolvendo a Copa do Mundo, não a questão habitacional e a preocupação com as condições de vida dos moradores da Vila Dique. “Se a área foi liberada e os moradores saíram, que importa em que condições vivem agora? E o que acontecerá com as famílias que ficaram na Vila Dique por não estarem na área das obras da pista? ” – pergunta a geógrafa.

Qual o futuro dos moradores da Vila Dique?

Copa 2014 em Porto Alegre: Para que e para quem?

Jornalistas, blogueiros e comunicadores populares ligados a movimentos sociais realizam no dia 20 de janeiro (quinta-feira), às 18h, no auditório do CPERS Sindicato (Av. Alberto Bins, 480), um debate sobre as mudanças e os impactos das obras da Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre (RS). O objetivo é informar as alterações que ocorrerão na Capital gaúcha para o evento mundial e analisar os seus desdobramentos, assuntos pouco abordados pela grande imprensa gaúcha até o momento.

As obras da copa a serem realizadas na cidade têm causado grande preocupação às populações, principalmente da periferia. No entanto, afetarão toda a população portoalegrense. Isso porque a maioria das obras prevêem a realocação de centenas de famílias pobres, que hoje moram em áreas valorizadas de Porto Alegre, em bairros carentes e com pouca infra-estrutura. E nem estão previstas obras de infra-estrutura para estes bairros. Já ocorrem também a pressão e a articulação de construtoras para ocupar áreas consideradas de alto valor imobiliário. São os casos do Morro Santa Teresa e da Orla do Guaíba.

OBRAS DA COPA SÃO PREOCUPAÇÃO NACIONAL

Estas questões são compartilhadas pela população e por organizações e movimentos sociais de todo o país. Nos dias 8 e 9 de novembro de 2010, foi realizado o seminário ”Impactos Urbanos e Violações de Direitos Humanos nos Megaeventos Esportivos”, organizado pela relatora especial da ONU para o direito à moradia adequada, Raquel Rolnik, a fim de debater os impactos das obras da copa. Em todas as capitais listadas para sediarem jogos da Copa do Mundo de 2014 estão previstos despejos e realocações de populações pobres, mega investimentos para construtoras e grupos privados e privatização de locais públicos. Ao mesmo tempo, não se constatam preocupações com melhorias na infra-estrutura dos bairros da periferia ou no dia-a-dia das pessoas.

A partir deste seminário, organizações, movimentos sociais e populações que serão atingidas estão organizando comitês da copa em todas as capitais a fim de debater as obras e reivindicar melhorias. Em Porto Alegre já há dois comitês formados: um na região do Centro e outro no Morro Santa Teresa.

Te convidamos a se informar sobre o que está acontecendo aqui na Capital gaúcha e a se inserir nesta luta. Participe!

DEBATE SOBRE AS OBRAS DA COPA DO MUNDO DE 2014 EM PORTO ALEGRE
Data: 20 de janeiro (quinta-feira)
Horário: 18h
Local: Auditório do CPERS (Av. Alberto Bins,480 9º andar)

Para dúvidas ou mais informações, entre em contato com Katia Marko (8191 7903).

Copa 2014 em Porto Alegre: Para que e para quem?

Nasce o movimento #TT: Tira Teixeira da CBF!

Faz mais de 20 anos que Ricardo Teixeira grudou na cadeira da CBF, que vai organizar a Copa do Mundo de 2014 e ganhar uma bela grana em cima. Além dele, ocupam o comitê da Copa sua filha, Joana Havelange, e outros quatro nomes ligados intimamente à família.

Mas, pela primeira vez, o herdeiro de João Havelange no trono do futebol brasileiro – esse pessoal está lá há 50 anos – sofre alguma resistência. Ela vem através da movimentação de Rocha Azevedo, ex-presidente da Bovespa, entrevistado por Carta Capital.

E a ideia é justamente organizar um movimento horizontal, espontâneo, pela rede. Tira Teixeira é a chamada. Então vamos lá. Todo o mundo usando a tag #TT no Twitter. É fácil, não ocupa quase nada dos 140 caracteres e pode ajudar. Mesmo que Teixeira não caia, se abalar ligeiramente seu poder, já é bom para o Brasil. Afinal, no comitê da Copa, o que mais entra é dinheiro público. Dinheiro nosso.

Nasce o movimento #TT: Tira Teixeira da CBF!

Lula defende rotatividade na presidência da CBF

Quer saber por que a elite brasileira não gosta do Lula, mesmo tendo mantido seu alto padrão, saído bem da crise, melhorado ainda mais de vida durante seu governo? Porque alguns privilégios são combatidos, sim. Mesmo que muitos desses combates não deem resultado, incomodam, fazem ver que tem coisa errada.

A Confederação Brasileira de Futebol é filhote da Fifa, uma das maiores máfias do mundo, uma verdadeira organização criminosa, que lida com quantias que reles mortais como nós somos incapazes de absorver. Seu presidente, Ricardo Teixeira, está no posto desde que me conheço por gente, mais ou menos – para ser exata, desde 1989. É sabido que ele coordena a maracutaia do futebol brasileiro, que passa por vários aspectos, inclusive as negociações com a Globo de horários de jogos, os patrocínios e tantos interesses financeiros graúdos.

Pois Lula defendeu uma rotatividade nas organizações de um modo geral, no dia seguinte em que Ricardo Teixeira, o cara que só quer deixar o cargo se for para assumir a presidência da Fifa, propôs uma renovação na Seleção Brasileira. É pra renovar? Então oito anos e tchau. Não tem sentido um dirigente ficar mais tempo em um alto posto, perpetuando seu poder, ainda mais da forma como acontece na CBF. Quem decide qual cara senta na cadeira? E os que decidem, têm rabo preso?

Seria um exercício bacana de democracia. Falta apenas explicar a Ricardo Teixeira o que é democracia.

Lula defende rotatividade na presidência da CBF

Recado da embaixada paraguaia à Globo

Puxado do Luis Nassif Online:

Embajada de la República del Paraguay

Brasilia – Brasil

Brasilia-DF, 2 de julio de 2010.

EP/BR/9/046/2010

Ref.: Publicación de SporTV.

Señor Director:

Me dirijo a Usted con el objeto de manifestarle nuestro desagrado por un video exhibido en una programación del Canal de Televisión SporTV, miembro del grupo periodístico de su Dirección, relacionado con la participación de la Selección paraguaya en el Mundial de Futbol Sudáfrica 2010.

Expresamos nuestro rechazo a la difusión de un material que, con un supuesto tono humorístico, denigra al pueblo paraguayo, ironizando sobre nuestros valores culturales y atractivos naturales.

No podemos comprender el objetivo de dicha publicación y menos aún cuando ello ocurre de parte de un medio periodístico prestigioso que no necesita recurrir a la infamia para ganarse mayor audiencia.

s muy satisfechos del lugar que actualmente ocupa nuestra selección en el Mundial de Sudáfrica y más aún por el hecho de ser una de las 4 selecciones de América, coincidentemente pertenecientes a los 4 Estados Partes del MERCOSUR, que han arribado a estas instancias en tan importante certamen deportivo.

Tenemos legítimo orgullo de nuestras costumbres y tradiciones, así como de nuestros recursos y atractivos turísticos, por lo que una publicación de indiscutible mal gusto, como la referida, no conseguirá menoscabar el lugar ganado con mucho esfuerzo en el deporte ni los valores de pueblo y naturaleza de nuestro país.

Por tratarse de una reiterada falta de respeto en el mismo medio televisivo, me permito solicitarle que la programación del grupo periodístico de su dirección, respete la dignidad del pueblo y gobierno de la República del Paraguay.

Atentamente,

Didier César Olmedo

Ministro de Embajada

Encargado de Negocios a.i.

Al Señor

Antonio Carlos Drumond,

Director de la Red GLOBO

Brasilia, DF.

Recado da embaixada paraguaia à Globo

SporTV pede desculpas aos paraguaios

A SporTV teve que se retratar. Pediu desculpas ao Paraguai pela matéria preconceituosa exibida essa semana. O link para o vídeo em que é feito o pedido está aqui. A matéria que gerou o bafafá, com meu comentário, aqui.

A fala do apresentador e o VT não anulam a matéria e são bem mais discretos que ela. E a SporTV não pede desculpas às mulheres. Ainda assim, há que se respeitar a postura da SporTV ao pedir desculpas ao país. Foi, sim, uma demonstração de humildade ao reconhecer o erro. Ganha um ponto.

SporTV pede desculpas aos paraguaios