A campanha de desqualificação dos argentinos

Roubado do Diário Gauche.

É preciso denunciar uma cumplicidade perversa entre alguns (maus) publicitários, o PIG e anunciantes brasileiros. A aliança maléfica visa envenenar o senso comum contra as populações do Cone Sul, em especial os argentinos.

Ora é a propaganda indigente de uma cerveja fedida (com gosto de urina de rato, como diria o marinheiro Arthur Gordon Pym), que faz dos argentinos objeto de zombaria. Ora são jornalistas idiotas que alimentam uma rivalidade extracampo, para bem além da mera disputa esportiva, entre o futebol argentino e o futebol brasileiro.

Ontem, na televisão, depois do jogo dos argentinos, escutei um repórter fazer comentários sobre a torcida: para ele, os torcedores “argentinos são fanáticos”, os torcedores “brasileiros são alegres e desinibidos”. Apenas um exemplo entre tantos outros que poderiam ser citados como ilustração dessa campanha aparentemente ingênua e desimportante.

A eleição de falsos adversários é artifício rasteiro da mediocridade organizada. Seus instrumentos de trabalho são a má consciência, o preconceito, e a divulgação em tom alto das piores suspeitas que o senso comum guarda dos nossos vizinhos. Além de simplificar a identidade cultural de estrangeiros irmãos, como se estes portassem um único e indivisível espírito nacional, e como se este espírito não fosse fatiado por tantas classes sociais quantas o capitalismo pode produzir.

É preciso protestar contra essa campanha que é o prefácio do fascismo. A técnica continuada de desqualificar o outro, o estrangeiro, o que não é igual, é a ante-sala do obscurantismo.

Coisas da vida.

A campanha de desqualificação dos argentinos

Campanha continua: O Morro é nosso!

Que os gaúchos não se enganem: o Projeto de Lei 388, que visa permutar o terreno da Fase, quase em frente ao Beira Rio, ainda não foi votado. Corre em regime de urgência e deve ser votado até 8 de junho na Assembleia Legislativa.

Do Diário Gauche:

“Ao contrário do que afirma a mídia imobiliária

O deputado Raul Pont (PT-RS) e dois outros deputados estaduais foram recebidos ontem pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Léo Lima. A audiência foi solicitada pelos parlamentares para apresentar o conjunto de emendas ao Projeto de Lei 388/09 que trata da venda ou permuta do Morro Santa Teresa em Porto Alegre.

O desembargador Leo Lima garantiu que o Judiciário gaúcho “não tem posição firmada sobre o projeto de lei 388” que trata da venda de parte do Morro Santa Teresa e solicitou aos parlamentares um levantamento completo de tudo o que já foi identificado como problemático em torno da questão. A informação é do portal PT Sul.

……………………………

O jornal Zero Hora, um dos componentes mais ativos da mídia interessada na venda do Morro Santa Teresa, vive afirmando que o Tribunal de Justiça, o Ministério Público estadual, a OAB/RS, dom Dadeus Grings e seus beatos sacristãos, estão unidos e coesos apoiando a transação imobiliária requerida pela governadora Yeda.

Pois, no que toca ao Tribunal de Justiça, a afirmação não se confirma.

Talvez se confirme com dom Dadeus e seus auxiliares de sacristia.”

——————–

Campanha do Semapi na Feira da Biodiversidade, que está acontecendo no Largo Glênio Peres, e nos ônibus de Porto Alegre:

Campanha continua: O Morro é nosso!