Quantidade de incêndios em favelas é assustadora

Não estou acusando ninguém e posso estar redondamente enganada – aliás, espero sinceramente que esteja mesmo -, mas essa quantidade nunca antes vista de incêndios em favelas me assusta e tem me deixado com uma pulga atrás da orelha.

Sei que as favelas estão crescendo e que muitas delas são constituídas de grande parte de material altamente inflamável, mas é no mínimo estranho essa incidência de incêndios. Eu nunca tinha ouvido falar de tantos, com tanta frequência, antes. Em uma pesquisa rápida na busca da Folha Online, utilizando os termos “incêndio favela”, encontrei menção a 14 incêndios em 2009 (11 de janeiro, 11 de fevereiro, 10 de março, 17 de abril, 01 de maio, 26 de junho, 16 e 30 de agosto, 09 e 11 de outubro, 02 e 23 de novembro e 05 e 19 de dezembro). Todos em São Paulo.

Repito, não quero fazer insinuações levianas, mas ou a imprensa começou a noticiar incêndios em favelas apenas recentemente ou eles não aconteciam tanto no passado próximo. E essa ocorrência tão grande me faz lembrar de pessoas, que não são poucas, que dizem que resolver o problema das favelas é simples, é só tacar fogo. Essa é uma visão fascista, de limpeza social, que me dá muito medo.

Realmente espero estar enganada.

Quantidade de incêndios em favelas é assustadora