Uma feira do povo: “Eles não são de fora, são daqui”

Não deu para não roubar do RS Urgente o ótimo texto de Marco Weissheimer e a foto de Eduardo Aigner que mostra o Cais lotado:

No show inesquecível que reuniu sábado à noite, no Gasômetro, nomes antológicos do rock gaúcho (Wander Wildner, Julio Reny, Frank Jorge & cia), lá pelas tantas um dos músicos comentou ao microfone: “Tem que vir gente de fora para acontecer uma coisa legal assim na cidade”. A coisa legal não era apenas o show, mas toda a Feira Nacional de Agricultura Familiar, sucesso absoluto de crítica e público. O comentário foi imediatamente seguido de uma correção: “Eles não são de fora, são daqui”. Eles, no caso, eram os organizadores da Feira, o “pessoal do MDA” (Ministério do Desenvolvimento Agrário). Foi logo no início do primeiro governo Lula que o pessoal daqui assumiu o MDA com Miguel Rossetto. Quando Rossetto deixou o ministério, quem assumiu foi Guilherme Cassel, gente daqui também. A alegria estampada no rosto de organizadores, feirantes, visitantes e participantes do evento realizado no Cais do Porto, à beira do Guaíba, foi a maior prova de que a política pode ser feita para causar bem estar e felicidade.

Poucas vezes, nos últimos anos, viu-se uma atividade pública cercada por tão alto astral. Parecia uma Feira do Livro às margens do Guaíba. Lembrou os melhores dias do Fórum Social Mundial. E mostrou, acima de tudo, o acerto da política de valorização da agricultura familiar no Brasil. Diversidade, riqueza de sabores, cores, cheiros, formas e pessoas. De fato, foi uma coisa muito legal, feita por gente daqui que se mudou para Brasília e que se sentiu muito feliz e justificadamente orgulhosa ao ver a alegria no rosto de seus conterrâneos. Por sinal, um deles comentou: “a gente foi ali, mas já volta.”

Um governo como o de Yeda Crusius jamais oferecerá algo parecido para a população. Por uma razão muito simples: trata-se de gente que não gosta de cheiro de povo.

Anúncios
Uma feira do povo: “Eles não são de fora, são daqui”

Brasil Rural Contemporâneo começa hoje em Porto Alegre

O Somos Andando estará lá, trazendo informações de um ponto de vista que não se vê por aí…

Do RS Urgente:

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, abre nesta quinta-feira (13), em Porto Alegre, a Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária – Brasil Rural Contemporâneo. A Feira inicia oficialmente às 16h, no Cais do Porto. Antes, às 15h30min, o ministro receberá convidados em um coquetel oferecido pelas cooperativas de agricultura familiar do Rio Grande do Sul. Com entrada franca, a Feira será realizada de quinta a domingo (13 a 16 de maio), no Cais do Porto, devendo reunir 350 empreendimentos familiares de todo o Brasil.

O Rio Grande do Sul é um dos Estados que têm a agricultura familiar mais forte do país. O setor corresponde a cerca de 86% dos estabelecimentos rurais produtivos no Estado, sendo responsável por 54% do valor bruto da produção gaúcha e 81% das pessoas ocupadas no meio rural. Na edição deste ano da Feira Nacional da Agricultura Familiar, mais de 200 toneladas de produtos deverão ser comercializados.

O evento ocupará três armazéns do Cais do Porto (A4, A5 e A6). Nesses espaços estarão à disposição do público produtos como os queijos do Rio Grande do Sul e a cracóvia do Paraná; o bombom de buriti do Cerrado, o tacacá da Amazônia e a tapioca do Nordeste; roupas e acessórios de lã de ovelha e crina de cavalo do Rio Grande do Sul e bolsas de couro de peixe do Mato Grosso do Sul, entre outros achados que refletem a diversidade dos produtos da agricultura familiar.

A Feira contará também com uma intensa programação cultural. No Palco Multicultural, ocorrerão shows com Gilberto Gil, Otto, Teatro Mágico e Monobloco, além dos gaúchos Richard Serraria, Nei Lisboa, Frank Jorge, Julio Reny e Wander Wildner. Já np Tablado de Raiz estarão presentes grupos como o Maracatu Estrela de Ouro (PE), Zambiapunga (BA), Coco Raízes de Arco Verde (PE), Congada Maçambique de Osório (RS) e Cantadores do Litoral (RS).

———-

Aqui, a programação.

Também comprometidos com o projeto:

Brasil autogestionário
Centro de Estudos Ambientais (CEA)
– Fotógrafo Eduardo Seidl (Sul 21)

Brasil Rural Contemporâneo começa hoje em Porto Alegre