Lula estará no II Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas

Altamiro Borges antecipou no I Encontro de Blogueiros do Rio de Janeiro, mas ainda era só uma ideia. Agora, fica cada vez mais certo: Lula estará no II Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, de 17 a 19 de junho, em Brasília.

Segundo Ênio Barroso, do PTrem das 13, Lula autorizou a divulgação da participação nesta terça-feira (10).

Em entrevista coletiva para blogueiros, no final de 2010, Lula disse que abriria um blog após deixar a Presidência.

Anúncios
Lula estará no II Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas

#RioBlogProg: Pela ampliação da blogosfera

“Que floresçam mil flores na blogosfera. Cada um de nós tem q ser um blogueiro”
Altamiro Borges no #RioBlogProg

Balizando algumas discussões mais voltadas a experiências específicas, alguma coisa de tecnologia e questões legais, estava a democratização da comunicação. Este foi o foco e a orientação de todos os debates e o objetivo final do I #RioBlogProg. O que unia todos os participantes ali presentes não era simplesmente o fato de ter um blog ou algum tipo de participação em redes sociais. O que unia todos ali era a utilização dos meios digitais como uma ferramenta de produção, disseminação ou consumo de conteúdo progressista.

O mote para todos os encontros regionais de blogueiros desde o I Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, em agosto de 2010 em São Paulo, é discutir de que forma podemos nos apropriar dos meios de comunicação digitais para fazer o enfrentamento ao discurso hegemônico e como esses meios são importantes para possibilitar que mais vozes participem da agenda de discussões das questões da sociedade.

Foi assim que Eduardo Guimarães lembrou na abertura do papel da blogosfera no episódio da bolinha de papel, durante a campanha eleitoral de 2010, em que o fiasco do candidato tucano ao ser atingido por papel amassado foi desmascarado e comprovado em questão de horas. O #bolinhadepapelfacts é um importante exemplo de como a blogosfera pode utilizar o humor para desconstituir discursos prontos, vazios e distorcidos, quando não descaradamente mentirosos.

Foi dessa forma que Bemvindo Siqueira falou sério em meio a uma atuação teatral divertidíssima na mesa sobre Arte e Humor na Blogosfera. Ele, aliás, deu uma  verdadeira aula sobre a história do humor, voltando aos tempos das comédias de costumes, para explicar que o humor é feito para desmontar costumes, não pessoas. É com a vaidade, a soberba, o preconceito que se brinca, não com o negro, o homossexual, o deficiente. E aí ele diferencia os humoristas de verdade dos que acham que fazem humor agredindo os outros. O que é, enfatizou, muito diferente de defender o “muito chato” politicamente correto.

Regulação

A deputada Jandira Feghali, que integra a Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular, avisou que vai conversar com Luciano Coutinho, presidente do BNDES para fazer valer o social do nome e financiar meios de comunicação alternativos, como blogs. Ela repetiu algumas vezes que regular não é censurar. Pelo contrário, censura é o que temos hoje. Temos é que “regular para ampliar”.

Um guri de 21 anos, Romario Regis, surpreendeu ao mostrar uma experiência feita por ele e outros jovens de perfil semelhante, de criar uma revista virtual, com conteúdo colaborativo e participação de cerca de 50 pessoas. Romário Regis disse conhecer apenas umas seis ou sete pessoalmente. É a revista Empty.

Sergio Amadeu deu uma baita aula da arquitetura da internet e da liberdade da rede, ligada à neutralidade e à imputabilidade.

Criminalização

No painel sobre radiodifusão, domingo de manhã, Arthur William comparou a produção de conteúdo na internet com a dos rádios pra fazer um alerta: já há uma lei que criminaliza as rádios comunitárias; a internet, não. Mas é preciso tomar cuidado, com as já conhecidas tentativas de criminalizar e proibir a disseminação de conteúdo nos meios digitais. Um atentado à liberdade de expressão (impossível não apontar a contradição de isso estar sendo defendido pelos mesmos setores que criticam a criação de marcos regulatórios e conselhos de comunicação atribuindo-lhes a pecha de censura).

A programação do II Encontro de Blogueiros Progressistas, que vai ter como tema central o marco regulatório, foi antecipada por Altamiro Borges na abertura do #RioBlogProg. O ministro Paulo Bernardo, Zé Dirceu, Venício Lima, Fábio Konder Comparato, um blogueiro egípcio que participou da revolução que derrubou o presidente-ditador, entre outros, estão confirmados. Falta agora a confirmação daquele que garantiu que depois de uns meses longe do poder criaria um blog. #LulanoIIBlogProg

E isso é só uma amostrinha do que aconteceu no Memorial Getúlio Vargas nos últimos três dias. Um encontro muito bem organizado, com participações extremamente representativas, ajuda a dar o start para o encontro nacional, como disse o Miro. Antes vêm ainda mais 13 encontros estaduais – além dos seis que já ocorreram –, entre os quais o do Rio Grande do Sul, que ajudo a organizar. Que cada um mantenha o perfil e a característica de sua blogosfera local, mas discuta de forma assim qualificada a democratização da comunicação. Assim, vamos construindo projetos, somando ideias, agregando conteúdo e ampliando a rede.

Bem falou Renato Rovai, nós não temos ainda a dimensão do momento histórico que estamos vivendo.

#RioBlogProg: Pela ampliação da blogosfera

A tal democratização da comunicação passa pelo fortalecimento da blogosfera

A principal motivação de blogueiros para se organizarem é o fortalecimento de um espaço onde se pode fazer comunicação livremente. Para mostrar que este espaço pode produzir comunicação de qualidade, sem os vícios e as amarras dos grandes meios de comunicação, e para que este espaço tenha cada vez mais representatividade e influência, organizou-se, no ano passado, o I Encontro de Blogueiros Progressistas, em São Paulo. Desde então, a blogosfera só faz crescer, e vem sendo reconhecida por muita gente. Desde o ex-presidente Lula, que, ainda no cargo, concedeu uma entrevista coletiva exclusiva a blogueiros, até o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que fez o mesmo duas vezes desde que eleito, passando por diversas outras demonstrações de importância.

Os blogueiros vêm ganhando relevância não apenas no fechado mundinho da internet. Eles vêm, aliás, mostrando que a internet não é um mundinho tão fechado assim, muito pelo contrário. A blogosfera passou a influenciar na agenda política do país, em maior ou menor grau.

Isso não porque um ou outro blog tem muitos leitores, mas porque temos centenas, milhares de blogueiros que formam uma grande rede que repercute e fortalece o debate. Um blogueiro que fale para 100 pessoas de repente fala para mil, 100 mil… Sabe-se lá quantos têm acesso à informação de um blog pelos tuíters da vida.

O principal não é nem a audiência de um blog, comparando à de um grande portal. Eduardo Guimarães perguntava hoje, durante o Encontro de Blogueiros Progressistas de São Paulo, quando, antes do fortalecimento dos blogs e das tais redes sociais da internet, se conseguia falar simultaneamente para 100 pessoas. Isso é o principal. A audiência e a credibilidade se conquistam aos poucos. O grande negócio é que hoje temos espaço para fazer de graça o que antes exigia um investimento muito grande. Temos a possibilidade de escrever e publicar informação ou opinião. Quebramos um paradigma. Diminuimos a distância entre consumir e produzir. Podemos ser todos receptores e produtores de informação.

E isso é fantástico. Quanto mais vozes tivermos, não importa o tamanho do público de cada uma, mais democrático é o cenário da nossa comunicação. É isso que chamamos de democratização da comunicação e por que lutamos. Não queremos quebrar os monopólios por birra ou inveja, mas porque queremos que mais gente fale. Para que não tenhamos um ou dois donos da verdade a repercutir uma visão determinada de mundo.

Isso, claro, não se faz apenas pela internet. Puxo a brasa pro meu assado, mas não sem deixar de reconhecer o importante papel de rádios e TVs comunitárias e jornais alternativos, que lutam muito para se manter, geralmente com bastante dificuldade. Mas é inegável a transformação trazida pela rede, especialmente pelo baixo custo que ela exige.

Claro que não foi uma revolução e ainda enfrentamos uma luta muito grande contra a concentração da comunicação. Não se quebram oligopólios só com boa vontade de uma hora para outra. A queda de braço é muito dura, e está apenas no começo. Enfrentemos.

———–

E vem por aí o I Encontro de Blogueir@s e Tuiteir@s do RS. Em breve, mais informações.

A tal democratização da comunicação passa pelo fortalecimento da blogosfera