Ao que tudo indica, Manuela deve ser candidata à Prefeitura de Porto Alegre em 2012

Embora todos os partidos envolvidos neguem, fica difícil de acreditar que a disputa para a Prefeitura de Porto Alegre de 2012 não entre na mesa de negociação de cargos do governo Tarso Genro no Rio Grande do Sul. E o PDT é um fator importante nesse cenário, a ser observado.

Cito o PDT porque tem o comando da Prefeitura hoje e porque é um partido ainda um tanto forte, cujo apoio em 2012 é importante para o PT voltar ao Paço municipal. Já se falou em apoiar a reeleição de Fortunati em troca do apoio ao governo Tarso, já que o PDT é dono de importantes votos na Assembleia Legislativa, o que acredito que não deve acontecer.

Apesar de os jornais já terem cotado inúmeros nomes para praticamente todas as secretarias, é possível tirar algumas tendências das negociações em curso. Os partidos trabalhistas, que não ajudaram a eleger Tarso, estão mordendo boa parte do alto escalão do governo. O PTB chegou pedindo 19,3% dos cargos, e o PDT, quatro secretarias importantes. O fato de eles pedirem não significa que vão levar, mas o novo governador dá sinais de que não vai deixar o PDT na mão.

Enquanto isso, o PSB e o PC do B, parceiros do PT desde o início do processo, disputam cargos menores. O PSB já tem o vice e Tarso já indicou Beto Albuquerque para uma pasta importante, de grande orçamento. Mas o PC do B leva por enquanto a pequena Secretaria do Turismo e parece que não vai contar com fatia muito significativa do governo.

Ou seja, o PT não concederia ao PDT tantos cargos mais a cabeça de chapa para a disputa à Prefeitura daqui a dois anos. Ao mesmo tempo, projeta-se como um nome forte da coalizão que elegeu Tarso a recordista em votos, reeleita para a Câmara Federal e jovem Manuela D’Ávila. Assumir a ponta da disputa seria o caminho mais natural, tendo em vista a lealdade e a dedicação dos aliados a Tarso e a disposição do PT de abrir mão do nome do prefeito da Frente ou Unidade Popular.

Considerando que o PDT está abocanhando, ao que tudo indica, um número significativo de secretarias e, portanto, ficaria fora da indicação do prefeito, e que o PC do B vem amargando um leve escanteamento na composição do governo, a tendência é que seja o partido a indicar o candidato que o PT vai apoiar em 2012 mesmo.

Mas claro, a política é imprevisível e muitos fatores ainda hão de ser considerados até a escolha definitiva do nome. O que vemos são tendências…

Anúncios
Ao que tudo indica, Manuela deve ser candidata à Prefeitura de Porto Alegre em 2012

Berfran Rosado como símbolo da promiscuidade eleitoreira

Os jornais gaúchos anunciam hoje o nome de Berfran Rosado como vice de Yeda na candidatura à reeleição ao governo do Estado. Proponho um exercício de memória. Nem precisa muito esforço, basta voltar dois anos no tempo.

Nas eleições municipais de 2008, Porto Alegre tinha três candidatas mulheres. Todas da esquerda, dividida, pra variar. Uma delas corria pelo PC do B. Um nome jovem, que ocultava mais do que mostrava sua sigla comunista.O nome do vice de Manuela D’Ávila era Berfran Rosado. O partido de Berfran continua o mesmo, o PPS que se diz socialista, mas é hoje um guarda-chuva de nomes alinhados muito mais à direita do que a esquerda. Um partido sem definição ideológica clara, que circula tranquilamente do PC do B ao PSDB, como vemos hoje.

O PSDB é a sigla de Yeda, de Serra, de FHC. Da defesa do mercado frente ao Estado. Do neoliberalismo. Berfran é vice da candidata mais anti-trabalhadores que poderia haver, depois de ter posado ao lado da Manuela, que em 2010 apoia, com seu partido, o candidato do Partido dos Trabalhadores. Contra-senso? Alguém diria que é política.

Para mim, falta de ideologia. Promiscuidade. De um, de todos. Berfran é só um símbolo.

Apoio a pré-candidatura de Tarso Genro ao governo do Estado. Ainda acho que preserva um tanto de integridade, diante dessa mistura de siglas, de conceitos mal apropriados. Misturas que repudio, sejam as de direita ou as de esquerda. Se é que esses conceitos ainda classificam essas siglas.

————–

– Nas fotos, Berfran ao lado de Yeda (PSDB), Manuela (PC do B) e Mano Changes (PP).

– A ficha de Berfran no Transparência Brasil denuncia baixíssima assiduidade, ainda menor atividade parlamentar, processos judiciais e afins.

Berfran Rosado como símbolo da promiscuidade eleitoreira