Começa o governo Dilma

Vi alguns comentários por aí criticando a demissão do ministro Nelson Jobim porque, segundo eles, o titular da Defesa devia ficar no cargo até não aguentar mais e pedir pra sair, com o rabo entre as pernas. Tudo bem, seria uma cena bonita de se ver, mas discordo da tese. O número de “foras” cometidos por Jobim recentemente tornava inviável que ele permanecesse. Vejamos… o elogio escancarado a Fernando Henrique Cardoso no seu aniversário, com direito a indiretas explícitas contra o governo e a presidenta; a afirmação de que votou no adversário na eleição baixa e cruel que elegeu a presidenta do governo do qual faz parte; por fim, as críticas machistas e descabidas às ministras das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Ficaria muito feio para Dilma mantê-lo depois dessa patacoada toda.

Era óbvio que Jobim acabaria saindo de qualquer jeito de um governo com o qual não concorda e onde se sente desconfortável. Dilma não é Lula, a relação dele com a chefe do poder agora é outra. Se não quisesse sair do governo, não teria aberto a boca. Uma vez, sem querer, até vai, mas isso que está acontecendo não se explica. Ele forçou sua demissão, sim. E demiti-lo é fazer o seu jogo. Mas há males que vêm para o bem, e entramos na brincadeira de Jobim, mas saímos no lucro. Ou seja, sem ele. Livramo-nos do pior, mesmo que ele também pareça contente com isso. Que ele vai aproveitar para se juntar à oposição, isso é óbvio. Vai tentar construir sua carreira do outro lado para crescer mais adiante. Mas não é verdade que ele sai por cima. Ele sai do governo bem quisto pela oposição, mas sai como uma figura política traiçoeira e desleal.

Não tinha como não demiti-lo. E Dilma está mostrando pulso firme na forma de fazê-lo, mandando até um avião buscá-lo na Amazônia para efetivar sua demissão. Ganha pontos e garante sua autoridade e respeito. Mas que não me venha substitui-lo por Aldo Rebelo (PCdoB), que está sendo cotado para o cargo. Agora é a hora de aproveitar que se livrou de um estorvo e ajeitar a casa.

Agora é um dos momentos mais importantes do governo Dilma, que contribui para definir sua personalidade. A presidenta pode finalmente se livrar de um entrave importante, que lhe foi imposto e que travava a possibilidade de fazer andar um governo totalmente com a sua cara. Começa, então, o verdadeiro governo Dilma. Assim espero.

Começa o governo Dilma