Faltam propostas para a comunicação

Mesmo os mais esquerdistas. Os radicais. Todos, ou quase. É muito difícil ver algum candidato, principalmente na proporcional, mas também na majoritária, apresentar propostas no sentido de democratizar a comunicação. Sei que existem alguns casos, em São Paulo e outros lugares, mas ainda não encontrei um gaúcho que faça desse tema uma defesa contundente em sua candidatura.

Os motivos são evidentes: todos dependem da mídia não só para ampliar sua influência política, mas até para manter a que já tem. Quem começa agora não teria espaço nem para a largada se apresentasse propostas no sentido de frear o monopólio e controlar para que a comunicação fosse democrática. Quem já está no jogo, não quer correr o risco de cair fora. E, bem ou mal, todos precisam estampar sua carinha na Globo. De forma positiva, claro. Nas candidaturas majoritárias isso é ainda mais evidente. Mas os partidos de esquerda que sabem não ter chance de se eleger, como o PSOL, poderiam promover a discussão. Pelo menos tumultuar, fazer pensar.

Apesar da dificuldade diante da dependência da mídia, ainda acho que é possível fazer alguma coisa. Existe um número razoável de pessoas ansiando por uma mudança na comunicação. O governo Lula e o futuro governo Dilma, caso sua eleição se confirme, têm culhão para bancar essas mudanças. Lula não fez. Dilma, se eleita no primeiro turno, vai chegar ao governo com um grande aval da população e cacife para enfrentar muitos poderosos de plantão, inclusive a mídia. Já está provado que o povo não obedece mais cegamente ao que a Globo diz, vide as pesquisas pós-quebra de sigilo na Receita.

Mas seria de grande ajuda que houvesse parlamentares dispostos a enfrentar a mesma briga. Até para pressionar o governo, fazê-lo tomar uma atitude de fato. E respaldar os desdobramentos caso essa atitude venha a se concretizar.

Ainda busco quem o faça. O momento é bom. A mídia tradicional está enfraquecida, desmoralizada, e o PT, Lula e Dilma estão muito bem cotados. A hora é agora.

Faltam propostas para a comunicação