Unesco avalia qualidade do jornalismo no Brasil

O que é qualidade no jornalismo?

Em busca da resposta a essa pergunta e de pôr em prática as conclusões, a Unesco publica estudos voltados para a qualidade no jornalismo praticado no Brasil e a visão dos jornalistas a respeito do tema. Indicadores de qualidade são apontados, ao mesmo tempo em que a instituição defende um marco legal para a profissão, que encontra resistências que precisam ser ultrapassadas, segundo a Unesco.

“O objetivo de desenvolvimento do Brasil é proporcionar a todos os brasileiros o acesso à informação de qualidade e ao conhecimento, em ambiente pluralista, com liberdade de imprensa e de expressão.”

Os arquivos podem ser baixados em pdf através dos seguintes links:

Qualidade jornalística: ensaio para uma matriz de indicadores, de Luiz Augusto Egypto de Cerqueira

Sistema de gestão da qualidade aplicado ao jornalismo: uma abordagem inicial, de Josenildo Luiz Guerra

Jornalistas e suas visões sobre qualidade: teoria e pesquisa no contexto dos “Indicadores de Desenvolvimento da Mídia” da UNESCO, de Danilo Rothberg

Indicadores da Qualidade no Jornalismo: políticas, padrões e preocupações de jornais e revistas brasileiros, de Rogério Christofoletti

Unesco avalia qualidade do jornalismo no Brasil

Pelos indicadores da Unesco, a mídia brasileira é uma piada

Provavelmente não terá muitos resultados práticos, mas a Unesco se mostra interessada em discutir a comunicação. Saiu a versão em português do documento “Indicadores de Desenvolvimento da Mídia: Marco para a avaliação do desenvolvimento dos meios de comunicação”, que pretende avaliar o estágio de desenvolvimento da mídia em diferentes países.

Já se sabe que uma sociedade verdadeiramente democrática pressupões liberdade de imprensa, com amplo acesso a todos os setores da população à produção e distribuição de conteúdo. Mas as formas de avaliar se ela acontece na prática talvez possam ser consideradas abstratas. O objetivo da Unesco é fornecer indicadores para que essa avaliação seja feita a partir de critérios objetivos.

As cinco categorias que baseiam o documento são:

1. Um sistema regulatório favorável à liberdade de expressão, ao pluralismo e à diversidade da mídia;
2. Pluralidade e diversidade da mídia, igualdade de condições no plano econômico e transparência da propriedade;
3. A mídia como uma plataforma para o discurso democrático;
4. Capacitação profissional e instituições de apoio à liberdade de expressão, ao pluralismo e à diversidade;
5. A capacidade infraestrutural é suficiente para sustentar uma mídia independente e pluralista.

Fico imaginando o momento de avaliar a imprensa brasileira. Um desavisado levaria um verdadeiro susto ao não encontrar sistema regulatório, pluralidade, diversidade, igualdade, transparência etc. etc. etc. A mídia brasileira chega a ser risível. O caso típico do cômico se não fosse trágico.

————-

O documento será lançado dia 23 de junho na Câmara dos Deputados, mas já pode ser acessado gratuitamente aqui.

Pelos indicadores da Unesco, a mídia brasileira é uma piada