Governador Tarso Genro lança Gabinete Digital na próxima terça-feira

O Governo do RS está lançando mão de mais uma ferramenta de informação, participação e democratização das decisões públicas do Estado – o Gabinete Digital(GD). A necessidade da abertura de mais esse canal direto com a população partiu da constatação de que já vivemos uma nova conjuntura: a sociedade em rede. Com o advento das novas tecnologias de informação e comunicação, em especial a internet e as redes sociais, as informações e ideias podem ser divulgadas e debatidas em tempo real.”O nosso Gabinete Digital é um espaço de acolhimento da tua opinião, da tua participação, do teu afeto, da tua crítica”, diz o governador Tarso Genro no vídeo de divulgação do evento, destacando que o GD é também um “elemento de controle do comportamento político e administrativo do próprio governador”.

O lançamento oficial do site do Gabinete Digital, assim como de ferramentas de interface de governança e cultura digital entre o governo e a sociedade gaúcha, acontece no dia 24 de maio às 17 horas com transmissão ao vivo no endereço www.gabinetedigital.rs.gov.br.

Carla Kunze
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital

Governo do Estado do RS

Anúncios
Governador Tarso Genro lança Gabinete Digital na próxima terça-feira

Programação I #BlogProgRS

Inscrições gratuitas aqui

18h30 — Credenciamento e abertura com autoridades e convidados;

19h30 — Mesa de abertura: “As mídias digitais e a democratização da democracia”.

28 de maio, Sábado

09h00 — Mesa de debates: “A importância estratégica e a viabilização da comunicação digital”;
11h00 — Debate e perguntas de plenário, respostas e considerações da mesa;
12h00 — Almoço;
14h00 — Mesa de debates: “Políticas públicas para comunicação digital”;
16h00 — Oficinas simultâneas;
17h30 — Relatos e experiências de blogs: Cultura Crossdresser, Salto Alto Futebol Clube, El blog de Norelys e Teia Livre;

29 de maio, Domingo

09h00 — Debate de plenário sobre o II BlogProg Nacional, elaboração da Carta dos Blogueir@s e Tuiteir@s Gaúch@s;
11h15 —
Coffee Break;
11h45 — Deslocamento para o Parque da Redenção;
12h15 — PIG PARADE no Parque da Redenção.

*A agenda poderá ainda sofrer alterações.

—–

Mesas de debates

As mídias digitais e a democratização da democracia

Vera Spolidoro — Secretária de Comunicação e Inclusão Digital do Estado do Rio Grande do Sul;

Altamiro Borges — Jornalista, blogueiro (Blog do Miro, http://altamiroborges.blogspot.com/), presidente do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé (http://www.baraodeitarare.org.br/), ativista pela democratização da comunicação, organizador do BlogProg nacional, membro do Comitê Central do PCdoB (Partido Comunista do Brasil) e autor do livro “Sindicalismo, resistência e alternativas”.

Marcelo Branco — Profissional de TI, ativista pela liberdade do conhecimento.

A importância estratégica e a viabilização da comunicação digital

Eduardo Guimarães — Blogueiro (Blog da Cidadania, http://www.blogcidadania.com.br/), comerciante, ativista político (presidente do Movimento dos Sem Mídia), organizador do BlogProg nacional.

Leandro Fortes — Blogueiro (Brasília, Eu Vi, http://brasiliaeuvi.wordpress.com/). Organizador do BlogProg nacional. Jornalista, repórter da revista Carta Capital. É autor dos livros Jornalismo Investigativo, Cayman: o dossiê do medo, Fragmentos da Grande Guerra e Os segredos das redações. É criador do curso de jornalismo on line do Senac-DF e professor da Escola Livre de Jornalismo.

Gabriela Zago — Jornalista gaúcha e pesquisadora de comunicação e jornalismo nas redes sociais digitais, blogueira (http://www.gabrielazago.com/), doutoranda em comunicação e informação, colaboradora do TwitBrasil e da Wave Magazine.

Luiz Carlos Azenha — Jornalista, blogueiro (Vi o mundo, http://www.viomundo.com.br/), organizador do BlogProg nacional. Foi correspondente internacional da Rede Manchete, do SBT e da Rede Globo. Atualmente, faz reportagens para a Rede Record e é diretor geral do programa Nova África da TV Brasil.

Renato Rovai — Blogueiro (Blog do Rovai, http://www.revistaforum.com.br/blog/). Jornalista, editor da revista Forum. Organizador do BlogProg nacional.

Políticas públicas para comunicação digital

Cláudia Cardoso — Diretora de Políticas Públicas da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital do Governo do
Estado do Rio Grande do Sul;

Vinícius Wu — Secretário Chefe de Gabinete do Governador do Estado do Rio Grande do Sul, coordenador do Gabinete Digital.

Debatedor: Marco Weissheimer — Jornalista, blogueiro (RS Urgente, http://rsurgente.opsblog.org/), editor da revista eletrônica Carta Maior (http://www.cartamaior.com.br/)

Oficinas simultâneas

Administração e ferramentas para blogs

Tatiane Pires — estudante de ciência da computação na PUC/RS, é programadora e webdesigner, escreve no blog tatianeps.net e colabora no portal Teia Livre (http://www.teialivre.com.br).

Redes Sociais

Mirgon Kayser — Assessor de Organização, Sistemas e Métodos da Fundação Cultural Piratini – TVE/RS e FM Cultura. Blogueiro, autor do Blog do Mirgon (http://blogdomirgon.blogspot.com/).

Relatos e experiências de blogs

Luísa Stern — Cultura Crossdresser (http://www.culturacd.com/)
Roberta Konzen e Quetelin Rodrigues — Salto Alto Futebol Clube (http://saltoaltofutebolclube.wordpress.com/)
Norelys Morales — El blog de Norelys (http://islamiacu.blogspot.com/)
Marco Aurélio — Teia Livre (http://www.teialivre.com.br)

Programação I #BlogProgRS

Um começo frustrante para a política de juventude no RS

Por Leopoldo Vieira

Apesar de ter dado um exemplo de apoio à renovação e transição geracional, indicando o ex-diretor da UNE (2003-2005) Vinícius Wu, 29 anos, para ser seu chefe de gabinete, o desenho institucional para desenolver políticas públicas de juventude apresentado pelo governador gaúcho Tarso Genro gerou descontentamento generalizado, em todas as tendências do PT local e tende a se ampliar para outras juventudes partidárias da base de apoio e movimentos juvenis.

Pelo formato proposto, uma “Divisão de Juventude” ficaria subordinada a um departamento, por sua vez subordinado ao secretário de Justiça e Direitos Humanos. Neste departamento estariam outras “divisões”, como portadores de deficiência e igualdade racial.

Uma pasta de terceiro escalão, sem recursos humanos e financeiros e sem condições, portanto, de ser articuladora de políticas e relações com a sociedade civil, sem autoridade para realizar monitoramento e proposições de ações, projetos e programas voltados aos jovens e sem executar nenhuma iniciativa de peso, já que Pronasci, ProJovem e a versão “gaúcha” do Pronasci, que o governador vai criar, ficarão alocados em outras pastas. Sem contar que a associação de Juventude com “Justiça”, ainda mais quando a Secretaria em questão é a responsável pela gestão da versão da “FEBEM” do Rio Grande, e tem a maior parte do seu orçamento voltado para essa função, é extremamente ruim, ressuscitando o simbólico de “jovem problema” tão projetado no governo tucano de Yeda Crusius, que nada fez pelos jovens do estado, ao contrário: aprofundou índices negativos de exclusão sócio-cultural.

Uma experiência semelhante a que o governador quer fazer no Rio Grande do Sul já foi feita no Pará, no governo de Ana Júlia, e justamente pela mais completa condições de ação política da “área de juventude”, o resultado não foi dos melhores, basta saber que era impossível fazer material de juventude na eleição sem vincular o balanço de quatro anos com as propostas da reeleição – elaboradas criticamente pelo Comitê de Juventude -, sob o risco de emagrecer sobremaneira o “balanço positivo”.

Não imagino como “a vitória da Unidade Popular pode recolocar o Rio Grande na vanguarda da inovação em termos de governança democrática em escala global”, sem considerar o papel dos jovens – somado ao bônus demográfico – ao desenvolvimento econômico, cultural e político.

Assim o novo governo mal começa e já põe na ordem do dia um retrocesso, o que contrasta com a prioridade que Tarso deu à juventude em sua passagem pelo MEC e pelo Ministério da Justiça.

A sugestão de post foi do Murilo Amatneeks, da Executiva Nacional da Juventude do PT.

Um começo frustrante para a política de juventude no RS

Governo Yeda termina como começou: um desastre

Se o governo de Yeda Crusius no RS foi catastrófico ao longo de quatro anos, não seria agora que as coisas mudariam.

A Página 10, coluna da Rosane de Oliveira em Zero Hora, denuncia o descaso do governo com as questões da transição. A secretária de Comunicação, Vera Spolidoro, não tem conseguido informações básicas, fundamentais para estruturar a futura Secretaria. Diante da ausência de respostas, foi ao Palácio Piratini, onde não foi recebida.

Yeda contesta as críticas com relação aos contratos que queria assinar ainda esse ano, dizendo que governa até 31 de dezembro. Afirma, com isso, que o Rio Grande não pode parar. Mas essa negativa de atender à transição – o futuro chefe de gabinete, Vinícius Wu, também está sendo ignorado – pode tornar o início do novo governo menos produtivo, pois ainda vai precisar de um período para se inteirar da situação e adequar os projetos às condições de que dispõe.

Ou seja, Yeda mostra orientar-se apenas por interesses pessoais, para preservar sua imagem (se ainda tiver uma), sem se preocupar com o futuro dos gaúchos. O nome disso? Demagogia.

Governo Yeda termina como começou: um desastre